Ultra Rádio

No fim de ano, PE teve queda de 77% no número de mortes em estradas

Segundo PRF, entre 23 de dezembro do ano passado e 1º de janeiro de 2017, foram quatro mortes. No mesmo período entre 2015 e 2016, ocorreram 18 óbitos.

Polícia Rodoviária Federal em Pernambuco (PRF) divulgou, nesta segunda-feira (2), o balanço de fim de ano da ‘Operação Integrada Rodovida Cidades’, que pretende reduzir a violência no trânsito. Entre os dias 23 de dezembro do ano passado e 1º de janeiro deste ano, foram registrados 109 acidentes, com 99 feridos e quatro mortos. No mesmo período entre 2015 e 2016, ocorreram 113 acidentes, com 110 feridos e 18 mortos. Isso significa uma queda de 77% no número de óbitos.

O acidente mais grave ocorreu na tarde do domingo (25), na BR 101, em Ribeirão, na Zona da Mata Sul de Pernambuco. Um engavetamento envolveu seis veículos e causou a morte de um motociclista. Quatro pessoas ficaram feridas.

O acidente foi ocasionado por um incêndio no canavial, às margens da rodovia. O fato está sendo investigado pela Polícia Civil.

Durante esse período, 6.960 pessoas e 6.585 veículos foram fiscalizados. O número de autuações emitidas chegou a 2.686. Entre elas, destacam-se 223 por ultrapassagens em local proibido, 96 pelo não uso do cinto de segurança, 20 pela falta da cadeirinha e 19 por conduzir motocicleta sem capacete.

Contra o álcool
A PRF informou que ocorreram 1.380 testes com o bafômetro, sendo emitidas 24 autuações. Três pessoas acabaram presas por dirigir sob efeito de álcool.

Durante as fiscalizações, também foram recolhidos 158 Certificados de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLVs) e 23 Carteiras Nacionais de Habilitação (CNHs) por diversas irregularidades.

Crimes
No período da ação, 12 pessoas acabaram sendo presas por crimes como receptação de veículos roubados, uso de documento falso, tentativa de estupro de vulnerável, além de tentativa de roubo.

Com o objetivo de evitar acidentes, também foram recolhidos 161 animais que estavam soltos às margens das rodovias e registradas 58,6 toneladas de excesso de peso em veículos de transporte de cargas.

Fonte:G1