Ultra Rádio

Ministério Público Federal denúncia Jailson do Armazém e outras 11 pessoas por fraude na merenda escolar

A procuradora da República, Silvia Regina Pontes Lopes, por via do Ministério Público Federal (MPF) em Pernambuco, denunciou 12 pessoas envolvidas na fraude das merendas escolares em Lagoa do Carro, que foi deflagrada na operação “Mata Norte”, da Polícia Federal (PF) estourando o caso, no ano passado, em Lagoa do Carro.

Diante das investigações realizadas pela Controladoria Geral da União (CGU), em conjunto com a PF e intermediadas pelo delegado Alexandre Alves e o controlador Fábio Araújo foi detectado que a Prefeitura Municipal de Lagoa do Carro fraudou quatro procedimentos licitatórios, entre 2013 e 2016, com verbas do Programa de Apoio à Alimentação Escolar na Educação Básica (PNAE). Não houve comprovação de ser inviável a adoção da modalidade eletrônica pregão. O valor divulgado chegou a quase R$ 1 milhão.

O MPF divide os acusados na denúncia em dois núcleos. O primeiro é formado por funcionários públicos que realizavam as licitações fraudulentas para benefício de empresas, tem como integrantes o ex prefeito, Severino Jerônimo da Silva (Jaílson do Armazém), o ex-pregoeiro, Adeildo Marques dos Santos Jr., a ex-secretária de educação, Silvia Maria Santos Porto, o ex-secretário de Assuntos Jurídicos, Antônio Flávio Guerra Barreto, a ex-secretária de finanças, Talita Correia Dias de Almeida, e o ex-assessor jurídico, Luiz Cavalcanti Petribu Neto.

O segundo grupo, possui os empresários e outros que participaram do esquema, o líder era o proprietário das empresas, Radar Mercantil Ltda. e FJW Empresarial Ltda., Ricardo José de Padilha Carício, também denunciado pelo MPF em referência a Operação Torrentes. O Ricardo comandava seus empresários para fraudar a licitação e desviar o dinheiro público para suas empresas, os empresários são, Ricardo Henrique Reis dos Santos, Taciana Santos Costa, Jully Anne de Moraes Barros, João Henrique dos Santos e Eliab Américo Coutinho.